Amanda

Amanda

O que uma garota tem de comum, Amanda tem de diferente. Pelo menos é muito diferente do que as pessoas imaginam que ela seja. Talvez não pelo seu jeito charmoso, cabelos castanhos e longos – levemente ondulados – e os enormes olhos verdes que dão cor ao seu rosto pálido. Uma aparência nada rebelde, roupas da moda e namorados disputados.

Amanda é bem mais do que as pessoas vêem por fora. Ela é sensível, medrosa, desajeitada, carinhosa e, acima de tudo, alguém que preza suas amizades. Sua melhor amiga diz que é porque pessoas do signo de Câncer, inclusive as que mudam de humor como a lua que rege os nascidos em 24 de Junho, tendem a ser dramáticas e cabeça dura. Amanda acha que é exagero porque, além de canceriana e dona da lua mais mal humorada do universo, ela é adolescente. E adolescentes não deveriam tomar grandes decisões, certo?

No fundo, Mandy adora jogar videogame, assistir a filmes engraçados e românticos. Cresceu rodeada de garotos travessos, então se acostumou com guerras de bolas de água, pingue-pongue e paintball. Sua mãe ficava horrorizada com suas companhias, afinal uma verdadeira dama precisa de modos! Mas, com o tempo, tudo isso passou a ser coisa de infância. Como toda adolescente ela sonha com um grande amor e todas as coisas apaixonadas que todo mundo sempre fala, mas tem muito medo de que possa acabar magoada – ou magoando alguém – como ela sempre vê nos filmes.

A família Barcelos se mudou para a pequena cidade de Alta Granada antes de Amanda nascer e, desde pequena, é só o que ela conhece. Seus pais queriam muito ter uma família grande, mas o destino fez com que Amanda fosse filha única. Por isso, ela é a queridinha do papai e a princesa da mãe. Antes de entrar para o Ensino Médio, a vida de Amanda mudou drasticamente. Ela sempre foi bonita, mas virou popular. E o que pode ser o sonho de garotas de sua idade, beirando os dezessete anos, ela descobriu que acompanha consequências que nem sempre são como ela quer.

No colégio é uma abelha rainha, todo mundo tem olhos para ela e suas amigas. Já para os seus antigos amigos, ela é uma quase estranha. A não ser para Bruno, seu melhor-amigo-de-todos-os-tempos que, mesmo sendo o oposto dela perante os alunos da escola, nunca saiu do seu lado. Ele diz que Amanda é a "pequena" que deve ser observada de perto porque o tombo do pedestal pode ser rápido e doloroso. E não é só porque ela é baixinha e magrela. Bruno, desde a época das brigas de balões de água e do futebol dentro do quarto, não costuma errar.
Daniel

Daniel

Um grande amor e toda aquela coisa de casais apaixonados só podem acontecer se existirem – no mínimo – duas pessoas. Nessa história, uma delas é a parte complicada, a parte desconfiada, que procura respostas e que ama até demais.

A segunda parte é bem diferente. Ama com tudo que pode, sonha, se dá ao máximo, sabe esperar e sabe que é difícil (e mesmo assim não desiste!). Corre atrás, chora e canta. Faz loucuras e tenta se divertir o máximo possível nessa caminhada.

Assim é Daniel Marques (Danny, Dan, como quiser). Olhando por fora você acha que é só um rostinho bonito e engraçado, cabelos bagunçados e castanhos, pele bem branquinha – com algumas sardas que ele particularmente odeia – e um pouco (bem pouco) acima do peso. E as garotas o adoram. Sempre que Daniel passa sorrindo, com aquele sorriso enorme que cria efeito dominó, as pessoas se contagiam. Ele acaba usando seu "poder" como uma forma de consertar suas bagunças. Sendo simpático, amável e carinhoso, como ele sempre é quando quer – por isso é um bom geminiano. É muito entusiasmado com as coisas e se decepciona fácil.

Em geral, é um garoto bem normal. Gosta de futebol, paintball, correr na praia e fazer churrasco. Adora aventuras. Se você o convida para uma noite na mata, acampando e somente com as roupas do corpo, Daniel vai achar uma experiência muito legal. Embora, ele fique com preguiça de programas radicais.

Suas atividades prediletas incluem uma boa noite de Mortal Kombat, assistindo a filmes clássicos nerds (ele aconselha "De volta pro Futuro", "Ghostbusters" e "Eurotrip") e comendo pizza – ou os bolos Jaffa, que para ele são incríveis. Sua banda predileta são os Beatles, e, de tanto Bruno escutar McFLY, passou a gostar também.

Seus pais são complicados e brigam demais. Sua mãe adora gastar dinheiro em itens de decoração e jardinagem e seu pai tem muito trabalho, ele é diretor financeiro de uma grande empresa. Quando as discussões ficam mais sérias em casa, Daniel gosta de se trancar no seu quarto com sua guitarra.

Apesar de ser bem afobado e ansioso, ele é um ótimo amigo e adora fazer todo mundo rir. É bem misterioso e quietinho se você não o conhece bem – mas ele confia demais nas pessoas e se entrega muito fácil também. Isso pode ser algo ruim, depende do ponto de vista. Para Daniel, ser sensível não é um erro e sim uma qualidade. Ele diz que aproveita muito mais a vida assim.

Daniel é um cara muito romântico. Adora jantares a dois, caminhadas na praia... Ele odeia ver uma garota sentindo frio e é o primeiro a emprestar seu casaco. É um exímio poeta, adora escrever. Por isso é bem sacaneado pelos amigos. Até pelos marotos!

Quando chegou na cidade de Alta Granada, Daniel era tímido e quieto. A primeira pessoa que ele viu foi Amanda, sentada com as amigas, e ele disse ser amor à primeira vista. Não tem jeito. Tudo na garota o inspira. Quando conheceu Bruno e Caio, depois Rafa e Fred, toda sua vida começou a mudar. Formaram uma banda de garagem, começaram a tentar chamar atenção na escola e é como se toda diversão se concentrasse em sacanear as pessoas e rir de todo mundo pelas costas.

Seus amigos são como irmãos. Ele aprende muito sobre superar seus problemas com seu melhor amigo Bruno. Entende o poder de uma boa amizade, de boas conversas e de uma boa música, acima de tudo.